Secult-Ce lança seminário pioneiro no Brasil

Imagem: Secult/www.secult.ce.gov.br

A cultura é uma das atividades humanas com maior potencial de educação, formação integral de valores e atitudes, de agregação e cooperação comunitária, produção de solidariedade, combate à violência e inclusão social. Pensando assim, o Governo do Ceará, por meio da Secretaria da Cultura do Ceará (Secult Ceará), da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece) e da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), lança, no dia 10 de setembro, às 9h, em evento virtual no Youtube da Secretaria, o “Cientista Chefe da Cultura”. A iniciativa articula a Universidade com a gestão pública e já conta com representantes em várias outras áreas, como segurança pública, educação, proteção social, infraestrutura e recursos hídricos. Para marcar o lançamento, será realizado, além da apresentação do programa, a realização online do “I Seminário Público do Projeto Cientista Chefe da Cultura” com o tema “Cultura, Inovação e Inclusão Social no Ceará”.

O Programa Cientista-Chefe do Estado do Ceará mobiliza a inteligência acadêmica para as aplicações diretas das teorias, metodologias, ferramentas e outros produtos na gestão pública, com notável aproveitamento de tempo e diminuição de distâncias burocráticas. Implantar esse programa no setor cultural significa compreender que a cultura é campo vasto e fértil para mobilizar pessoas (comunidades, coletividades, grupos); articular programas, projetos e ações de outras áreas da gestão pública, tais como: educação, saúde, infraestrutura, turismo, assistência social, segurança, planejamento e economia; combater a pobreza e as desigualdades correlatas e incluir uma imensa quantidade da população, privada do consumo de produtos e serviços culturais.

E a Cultura é campo fértil para esse novo mundo do trabalho, por sua diversidade e pela alta demanda interessada exatamente em produtos, serviços e atividades criativas. A Secretaria da Cultura do Ceará promove um conjunto de ações que podem ser potencializadas e trabalhadas na direção expressa da inclusão social. O Programa Cientista Chefe da Cultura poderá aproveitá-las para a realização de experimentos e de intervenções-piloto, indicando para a gestão estadual aquelas que têm potencial para execução em larga escala, resultando daí a diminuição das desigualdades e a inclusão social.

Produzindo conhecimento para qualificação das políticas públicas de cultura

“O Cientista Chefe da Cultura consiste na inovação da gestão pública e sua estruturação na eficácia da aplicação dos recursos e de seus resultados junto à sociedade e ao desenvolvimento do estado. Implica também em estabelecer processos e métodos na produção de conhecimento, informações, indicadores, resultados e impactos que possam qualificar as políticas culturais em suas dimensões simbólicas, econômicas e sociais na democratização do acesso aos bens e serviços culturais. Sim, cultura é economia, gera riqueza e movimenta o PIB nacional. Sim, cultura é cidadania, combate à pobreza e gera inclusão social. Sim, cultura é conhecimento, produz repertórios simbólicos, subjetivos, artísticos, acadêmicos ampliando a capacidade crítica e inventiva das pessoas na vida em sociedade.  Nesse sentido, o nosso projeto tem plena aderência com as finalidades e objetivos do Programa Cientista Chefe, articulando uma demanda da gestão pública com a pesquisa científica desenvolvida nas instituições de Ensino Superior em consonância com a Funcap. Mais do que isso, nosso projeto aplicará o conhecimento científico para o aperfeiçoamento das políticas públicas com as transferências de tecnologias e inovações com as entregas que serão realizadas. Não só ao final, mas em seu processo e desenvolvimento, o Cientista Chefe entregará um bem científico e acadêmico com elementos e condições para que a para a Secretaria da Cultura do Estado do Ceará possa tomar suas decisões, produzir melhorias, qualificar suas ações e investimentos e, principalmente, o benefício para a sociedade através das políticas culturais”, destaca o secretário Fabiano Piúba.

Para o secretário da Ciência, Tecnologia e Educação Superior do Ceará, Inácio Arruda, o lançamento do Cientista-Chefe da Cultura demonstra a visão holística e estratégica do governo estadual. “A cultura precede a Ciência e é parte dela. São áreas interligadas, que se conectam a partir de aspectos como a criatividade, a inventividade, a diversidade e a curiosidade humana”, pontuou.

“O Programa Cientista Chefe do Ceará, em pouco mais de três anos de atuação, demonstrou ser uma engenharia institucional capaz de aproximar a administração pública e a academia, produzindo resultados observáveis para o Estado em diferentes áreas. Abri-lo à Cultura é mais uma ousadia do programa e faz todo sentido, dada a relevância, a transversalidade e o potencial inclusivo desta área tão criativa. A própria construção de uma proposta de inovação pública para a Cultura foi muito rica e contou com o envolvimento intenso da Secult e de sua equipe, assim como do time de pesquisadores liderados pelo Cientista Chefe. O pleno sucesso de ações de Inovação não costuma ocorrer sem que haja trocas e colaboração entre os agentes envolvidos. Portanto, a existência de um núcleo ativo no órgão público para interagir e receber as entregas é algo bastante valioso. Estamos entusiasmados e confiantes nos resultados que advirão da Inovação na Cultura do nosso Estado”, declara o diretor de inovação da Funcap, Jorge Soares.

Publicidade
Publicidade
Publicidade