Cantores deixam de ganhar milhões com cancelamento de festas em junho e julho

A pandemia do coronavírus provocou um verdadeiro desastre na industrial musical em todo o país. As tradicionais festas juninas de junho e julho já foram canceladas. Em Fortaleza a direção do Fortal também anunciou o adiamento do evento para o ano que vem.

Com a paralisação dos grandes festivais que reúnem milhões de pessoas em noites e mais noites de muita comida típica e show grandiosos, resta as lives com versões virtuais dos eventos. Mas o movimentação milionária em festas tradicionais em Caruaru (PE) e Campina Grande (PB), com geração de mais de 25 mil empregos temporários e movimentação de cerca de R$ 250 milhões ficou para o ano que vem.

Segundo fontes ligadas ao setor , muitos cantores perderam sua principal fonte de receita no ano com o cancelamento desses grande arraiais no Nordeste.

Um show de Solange Almeida, por exemplo, não sai por menos de R$ 200 mil. E ela já tinha mais de 15 shows agendados nas festas juninas deste ano.

Com um cachê de R$ 350 mil, Xand/Aviões do Forró já tinha cerca de 25 propostas de show para o período.

Gusttavo Lima perdeu mais de 40 shows no período, com cachês na casa dos R$ 700 mil cada. São R$ 28 milhões que não entrarão no cofre do embaixador.

Zé Neto e Cristiano (R$ 550 mil), também perdeu mais de 20 shows na região, seguido por Wesley Safadão (R$ 600 mil), que também era nome garantido nessas festas.

Marília Medonça e Simone e Simaria também perderam mais de 15 shows nessa temporada de Festas Juninas

(Com R7).

Publicidade
Publicidade
Publicidade