Após ter sido acusado de pedofilia, Felipe Neto processa quem publicou boatos

Um mês após ter sido alvo de boatos que o acusaram de fazer apologia à pedofilia, o youtube Felipe Neto segue com ações na Justiça do Rio de Janeiro contra pessoas que associaram seu nome ao crime.

O site Notícias da TV teve acesso a liminar concedida pela juíza Flavia de Almeida Viveiros de Castro, da 6ª Vara Cível do Rio de Janeiro, no último dia 15, contra Mizael Izidoro.

Com 24 mil seguidores no Twitter, o advogado publicou tuítes indicando que Neto incentivou o massacre de Suzano, em março de 2019, ao divulgar ao seu público, constituído em sua maior parte por crianças e adolescentes, canais da internet em que se publicam pedofilia e prática de crimes.

A juíza entendeu que Felipe Neto não incentivou seu público a ingressar em ‘chans’ [canais proibidos] e muito menos a praticar delitos”. Flavia de Almeida também determinou que o material fosse retirado em até 24h, sob pena de multa diária de R$ 500, chegando ao máximo de R$ 500 mil reais.

Publicidade
Publicidade
Publicidade